facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 25 de Maio de 2024
25 de Maio de 2024

16 de Setembro de 2010, 15h:33 - A | A

POLÍCIA /

Comerciante é preso acusado de molestar meninas em VG

Diário de Cuabá



Da Redação

O comerciante Francisco Ricarte Rodrigues, de 38 anos, foi detido anteontem à noite, no Jardim Maringá II, em Várzea Grande, acusado de abusar sexualmente de três meninas: duas de 8 anos e uma de 7. A prisão ocorreu após uma das meninas contar para a mãe o que tinha ocorrido.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A mãe, então acionou a Polícia Militar que levou o comerciante até a Delegacia do Complexo do Parque do Lago. A princípio, seria apenas uma vítima, mas as vizinhas ficaram sabendo e duas meninas apontaram o comerciante como autor de abuso sexual, que ocorria dentro do estabelecimento comercial.

Segundo uma das meninas, ele a deitava no chão e acariciava as partes íntimas. Uma delas contou aos policiais que o comerciante chegou a beijá-la na boca. As mães, que estiveram na delegacia, ficaram revoltadas com a atitude do comerciante, que negou qualquer contato mais próximo com as meninas.

O abuso sexual ocorreu no início do mês. Uma das mães explicou que o fato foi no dia 5 e o outro, no dia 7 de setembro. A terceira, dias depois, mas todos da mesma forma. “Fiquei revoltada. Ninguém aceita isso com a filha dos outros e nem eu com a minha. Quem faz isso tem que ser punido”, relatou uma das mães.

Policiais plantonistas disseram que uma das mães havia procurado a Delegacia de Defesa da Mulher e da Criança de Várzea Grande, onde foi ouvida pela delegada Daniela Maidel. O relato da menina foi convincente, mas os policiais não esperavam o aparecimento de mais vítimas.

Como não houve prisão em flagrante, a delegada solicitou a prisão temporária do comerciante junto à Vara de Repressão a Violência Doméstica da comarca de Várzea Grande. Com isso, ela acredita que terá tempo suficiente para concluir as investigações. Daniela Maidel deverá ouvir também as outras meninas.

Comente esta notícia