facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Julho de 2024
19 de Julho de 2024

10 de Outubro de 2017, 16h:08 - A | A

PODERES / GRAMPOLÂNDIA

Taques diz que demitiu Zaque por 'intrigas e fofocas' no Executivo

O depoimento do governador Pedro Taques foi prestado na ação que tentou tirar o promotor Mauro Zaque da investigação dos “grampos”, sob alegação de que ele teria fraudado o protocolo da denúncia.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou ter demitido o ex-secretário de Segurança Pública, promotor Mauro Zaque, em 2015, em razão de “intrigas e fofocas” no Executivo.

A declaração de Taques consta no depoimento prestado ao Ministério Públido do Estado (MPE), na ação movida pelo governador, que tentou tirar Mauro Zaque do processo sobre escutas telefônicas clandestinas, promovidas pela Polícia Militar, sob alegação de que o promotor teria fraudado o protocolo da denúncia feita ao chefe do Executivo, em 2015.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Taques contou que o relacionamento entre Zaque e o ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, preso por envolvimento no esquema, era bastante difícil e após uma negativa de aquisição de carros blindados para a SEcretaria de Segurança Pública (Sesp), “evoluiu para uma crise”.

Em seu depoimento, Taques disse ter sido procurado por Zaque e o adjunto Fábio Galindo, que revelaram a existência dos “grampos” em Mato Grosso. Conforme a denúncia do promotor, entre os anos de 2014 e 2015, políticos, advogados, jornalistas, empresários, magistrados, policiais e agentes públicos foram interceptados clandestinamente pela Polícia Militar.

Em novembro de 2015, o promotor pediu que o então comandante-geral da Polícia Militar, coronel Zaqueu Barbosa, fosse demitido. No entanto, o governador estava com viagem marcada e pediu que aguardasse uma decisão.

Naquela mesma época o secretário Marco Marrafon [Educação] afirmou que Zaque, quando estava no Lago do Manso, teria feito críticas a Paulo Taques, colocando em dúvida sua honestidade, apontando, inclusive, para um barco que segundo ele [Zaque], Paulo Taques teria adquirido com dinheiro ilícito”, disse Taques no depoimento.

Taques ainda contou que, ao ter retornado da viagem, encontrou Zaque que propôs esquecer o assunto contra Zaqueu e Paulo Taques, permanecendo à frente da Segurança Pública. O gestor disse não ter concordado e exonerou o promotor do cargo, em razão das “intrigas e fofocas”.

Que diante dos acontecimentos em dezembro de 2015, quando o depoente retomou de sua viagem, Zaque lhe propôs esquecer toda aquela confusão com Zaqueu e Paulo Taques, afirmando que continuaria no cargo até porque Zaqueu sairia no final do ano; no entanto o depoente não concordou e pediu o cargo de SSP ao representado, em razão das intrigas e fofocas, tendo assumido em seu lugar Fábio Galindo”.

O procedimento contra Mauro Zaque foi arquivado pelo MPE, na sexta-feira (6). O órgão entendeu que a suposta fraude no protocolo não foi praticada pelo promotor, mas sim no âmbito do Executivo. O governador será investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) a respeito do caso.

Comente esta notícia

Eliane Rocha 11/10/2017

Pqe zaque só denuncio o grampo depois q ele perdeu a sua vaga como secretária.?... Pqe não fez antes se ele já sabia dos serviços prestados do gaeco? Mto comovente!!!! Pura inveja do governador! Mesmo q ele se defenda qto a data do protocolo . Não bate ! !!!

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1