facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Julho de 2024
13 de Julho de 2024

09 de Julho de 2024, 12h:32 - A | A

PODERES / PEDIDO DE VISTA

Barranco adia votação de projeto que proíbe participação de crianças na parada LGBTQIA+ em MT

O projeto de Elizeu Nascimento (PL) visa combater a "erotização precoce" das crianças. A votação foi adiada por pedido de vista de Valdir Barranco (PT).

VANESSA MORENO
DO REPÓRTERMT



O Projeto de Lei nº 2274/2023, de autoria do deputado estadual Elizeu Nascimento (PL), que proíbe a participação de crianças de até 12 anos em paradas LGBTQIA+, entrou em pauta na sessão da Assembleia Legislativa desta terça-feira (09), mas teve votação adiada em razão de um pedido de vista de cinco dias do deputado estadual Valdir Barranco (PT).

Como justificativa do projeto, Elizeu utilizou a obrigação estatal prevista no artigo 227 da Constituição Federal, que diz que toda criança tem direito à dignidade, ao respeito e de ser salva de toda forma de negligência e exploração.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O deputado ainda ressalta que as Paradas de Orgulho Gay são um movimento social desvirtuado, nas quais as bandeiras mais expostas são a vulgarização e a agressão às famílias tradicionais, religiões, aqueles de opiniões políticas diferentes e, principalmente, a erotização precoce de crianças e adolescentes.

“Neste ínterim é que surgiu a necessidade da confecção desta propositura legislativa, a qual jamais possui o mister de afrontar a essência do movimento, mas condenar e proibir que neles sejam utilizadas as imagens de crianças, uma vez que estes ainda não possuem, em sua grande maioria, o discernimento necessário para entendimento definitivo sobre a sua opção sexual”, diz trecho da justificativa do projeto, que teve o parecer favorável da Comissão de Direitos Humanos, Defesa do Direitos da mulher, Cidadania e Amparo à Criança, Adolescente e Idoso, presidida pelo deputado estadual Gilberto Cattani (PL).

A Associação da Parada do Orgulho LGBTQIA+ de Mato Grosso repudiou a propositura alegando que se trata de uma “tentativa de proibição da participação de crianças nos eventos da Comunidade LGBTQIA+, inclusive da Parada do Orgulho LGBTQIA+, espaço preparado politicamente para visibilidade de todos os corpos, inclusive das famílias.”

Para a associação, o projeto é uma maneira de privar o direito de expressão, independentemente da idade, etnia, classe ou qualquer outra característica social.

Comente esta notícia

Gina 09/07/2024

Esses desgraçados querem acabar com nossas crianças. Querem participar destas coisas,que participem só adultos. Salvem nossas crianças!

positivo
1
negativo
0

1 comentários

1 de 1