Cuiabá, 30 de Novembro de 2022
logo

01 de Outubro de 2022, 18h:00 - A | A

PAPO RETO / ENQUETE

80% acham qua pesquisas não são confiáveis

Maioria dos votantes não confia nos institutos de pesquisa brasileiros.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTER MT



O RepórterMT quis saber se os leitores do site confiam nas pesquisas de intenção de voto divulgadas durante o período eleitoral e usadas pelas campanhas para determinar quais rumos cada candidatura deve tomar. A pergunta foi clara: “Você confia nas pesquisas apresentadas até aqui?”.

Para 78,14% dos votantes, as pesquisas não são dignas de confiança, são enviesadas e não possuem metodologia transparente. Os outros 21,86% dos leitores afirmaram acreditar no que as pesquisas mostram.

Os principais institutos de pesquisa no país atualmente são o Datafolha, ligado ao jornal Folha de S. Paulo, e o IPEC, formado pelos executivos que trabalhavam no antigo Instituto Ibope. São eles que ditam a cobertura dos grandes veículos de imprensa no país.

Mas não é o nome que torna um instituto de pesquisas confiável. Mesmo porque, para a maior parte das pessoas, é impossível reconhecer uma pesquisa idônea e uma manipulada, já que, geralmente, o que se divulga são os resultados e não as informações sobre amostragem, decisões metodológicas, etc.

A principal forma de separar o joio do trigo é analisar o histórico do instituto em questão. Um exemplo prático: na eleição dos EUA de 2016, a maioria das pesquisas apontava a vitória de Hillary Clinton. A única pesquisa que apontou a vitória de Donald Trump foi o pequeno Trafalgar Group, que foi ignorado pelas três grandes redes de TV americanas. E a história mostrou quem estava certo.

É importante frizar que as enquetes do RepórterMT não têm caráter científico e são fruto da curiosidade jornalística.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Comente esta notícia

Carlos Monteiro 01/10/2022

Seguindo essa mesma lógica, enquetes também não são confiáveis, né?

1 comentários

1 de 1