Cuiabá, 02 de Outubro de 2022
logo

05 de Dezembro de 2013, 08h:39 - A | A

OPINIÃO /

Pipocando no empreendedorismo

Uma pessoa empreendedora é motivada pela auto-realização

PEDRO NADAF



Desde o Século XV que se procura uma definição para o que chamamos de empreendedorismo, cuja palavra tem origem do latim medieval, ‘imprehendere‘, que pode ser traduzido como colocar em execução. ‘pôr em execução‘. Já no final do século XVII e início do século XVIII a teorização se aproximou ao que temos hoje, pois passou a se referir ao termo ligando-o à pessoa que criava e conduzia projetos ou empreendimentos.

Hoje o que mais se fala é de empreendedorismo, em todas as suas vertentes, seja empreendedores de negócios, empreendedores sociais ou intraempreendedores. Cada qual tem perfis semelhantes, mas ações diferenciadas.

Enxergar além do que é óbvio, é uma das características de uma pessoa empreendedora.

Afinal, com visão antecipada dos fatos e fazendo as coisas realmente surtirem efeito, faz a diferença, esteja onde estiver.

Uma prova, inclusive via case de sucesso, vale ser destacada para legitimar o que estou dizendo. Vou abordar um case do empreendedorismo popular, e com um produto igualmente popularizado entre os brasileiros, e mundialmente, a pipoca.

Para ilustrar o presente artigo vou falar de um empreendedor considerados como inovador no comércio de pipoca, o qual lhe rendeu muita projeção. Não vou me referir, entretanto, a uma fábrica de pipoca, mas de um dono de carrinho de pipoca: Valdir Novaki, ex-boia fria, que ficou famoso com a Pipoca do Valdir, comercializada em Curitiba-PR, Valdir Novak, que já conquistou a mídia nacional, até a Ana Maria Braga já comeu sua pipoca no programa Mais Você é hoje um empreendedor individual, mas antes mesmo de se formalizar ele inovou e conquistou o que a vida tem de melhor, tornou-se inclusive famoso no Brasil por suas palestras focadas no empreendedorismo, com ênfase no atendimento e varejo popular.

Imagine que Valdir tem em seu carrinho de pipoca, que não vende outro produto a não ser o que é seu foco, o cartão fidelidade, no qual cada cinco pacotes de pipoca consumidos ganha-se um novo pacote, tem o kit higiene (que vem com guardanapo, palito de dente embalado, sachê com fio dental e bala de menta).

O pipoqueiro tem um uniforme para cada dia da semana, que vem personalizado, se é sexta-feira, tem a chancela deste dia, com isso mostra aos clientes que está sempre limpo. Ele reinveste mensalmente 30% do lucro em melhoria do seu negócio. Além disso, utiliza óleo de girassol, por ser mais saudável.

Li certa vez que ser uma pessoa empreendedora significa ser motivada pela auto-realização, pelo desejo de assumir responsabilidades e ser independente. Valdir é um empreendedor, conquistou a independência, a fama e bons resultados financeiros com criatividade e inovação, deu o seu melhor, e a pipoca na panela mais que arrebentou.

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia