facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

17 de Junho de 2024, 14h:42 - A | A

OPINIÃO / LUIZE MENEGASSI

ESG e o legado das empresas

LUIZE MENEGASSI



No cenário empresarial contemporâneo, o conceito de Ambiental, Social e Governança (ESG) tem ganhado destaque como um componente essencial para a sustentabilidade e longevidade das empresas. Este conjunto de práticas, focado em questões ambientais, responsabilidade social e governança corporativa, não só atende às demandas dos consumidores modernos, mas também desempenha um papel crucial na sucessão familiar das empresas, garantindo a perpetuação dos negócios e a construção de um legado positivo para futuras gerações.

A sucessão familiar em empresas é um momento crítico que pode determinar o sucesso ou fracasso do negócio no longo prazo. Incorporar práticas ESG neste processo pode fornecer uma base sólida para a continuidade e prosperidade da empresa. O ESG representa um conjunto de princípios que contribuem significativamente para a perpetuação do negócio familiar. Adotar estas práticas mostra comprometimento com o futuro, construindo um legado positivo que pode aumentar as chances de sucesso para as próximas gerações.

Uma pesquisa realizada pela Bloomberg Intelligence em novembro de 2023 com 250 executivos de alto escalão e 250 investidores seniores de todo o mundo revelou que 85% dos entrevistados planejam aumentar os investimentos em ESG nos próximos cinco anos. Além disso, 84% dos executivos acreditam que o ESG proporciona uma estratégia corporativa mais robusta, enquanto 85% dos investidores relataram que o ESG contribui para melhores retornos, carteiras resilientes e análises fundamentais aprimoradas.

Embora os benefícios sejam claros, a implementação de práticas ESG pode ser desafiadora, especialmente para pequenas e médias empresas familiares. Uma pesquisa do Sebrae revelou que 86% dos micros e pequenos empresários brasileiros têm pouco ou nenhum conhecimento sobre ESG. Este desconhecimento pode ser superado através de educação e orientação profissional especializada, que pode ajudar a integrar gradualmente os princípios ESG na cultura e operações da empresa.

A orientação de advogados e consultores especializados é crucial para uma implementação eficaz do ESG na sucessão familiar. A adoção de práticas ESG deve ser adaptada à realidade de cada empresa, com um plano estratégico que considere as particularidades e desafios específicos. A integração de ESG no processo sucessório pode garantir não só a sustentabilidade do negócio, mas também uma transição mais harmoniosa e bem-sucedida.

Portanto, integrar os princípios ESG na sucessão familiar é mais do que uma tendência; é uma necessidade para garantir a longevidade e sucesso das empresas no cenário econômico atual. A adoção dessas práticas demonstra um compromisso com o futuro, construindo um legado duradouro e positivo. Empresas que abraçam ESG não apenas melhoram sua imagem e atraem mais investimentos, mas também asseguram que estarão bem-posicionadas para enfrentar os desafios futuros, garantindo sua relevância e sucesso para as próximas gerações.

Luize Menegassi é advogada do escritório Oliveira e Castro Advogados

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia