facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Junho de 2024
19 de Junho de 2024

22 de Maio de 2024, 15h:29 - A | A

OPINIÃO / LICIO ANTONIO MALHEIROS

Cavalo Caramelo no telhado

LICIO ANTONIO MALHEIROS



A catástrofe natural que assolou o estado do Rio Grande do Sul, tocou profundamente em nossos corações, de Norte a Sul de Leste a Oeste.

Infelizmente, o Rio Grande do Sul foi atingido pela maior tragédia climática da história do estado, com mais de 90% das cidades atingidas e impactadas pelas chuvas torrenciais, ocasionando enchentes e deslizamentos de terra.

Esta tragédia natural segundo balanço da Defesa Civil, até o momento foram contabilizadas 157 mortes em função das fortes chuvas e enchentes, além, de 88 pessoas desaparecidas, mais de 581 mil desalojadas e aproximadamente 76 mil em abrigos.

Essa tragédia climática causou impactos severos em 463 dos 497 municípios gaúchos, afetando diretamente mais de dois milhões de pessoas.

O meu introito neste artigo, tornou-se bastante prolixo, em função da magnitude e importância do tema. Vidas humanas.

Os poderes constituídos (leia-se: Federal, Estadual e Municipal), entraram nessa batalha para ajudar nossos irmãos do Sul de forma tímida, porém, entraram também.

Com relação aos nossos governantes na esfera Federal, vejo como ponto dissonante; uma situação que aconteceu através da manifestação por parte de uma pessoa influente dentro do governo, em que a mesma, deveria estar mais preocupada com nossos irmãos do Sul.

Reporto-me, a primeira-dama Janja Lula Silva, tomada por altruísmo exacerbado, se emociona ao ver o resgate do cavalo que estava preso no telhado de uma casa cercada pela água, o animal foi chamado de Caramelo.

A mesma chega a chorar de tanta emoção, com o salvamento do animal; nada contra, até porque é uma vida.

Ela, vai além ao dizer “Conseguimos salvar mais uma vida. É isso, gente. Força, Rio Grande do Sul”. Assim pronunciou a primeira-dama Janja.

Porém, ela poderia também guardar um pouco das suas lágrimas, para chorar pelos 157 mortos, pelas 88 pessoas desaparecidas, pelos mais de 581 mil desalojadas e pelos aproximadamente 76 mil alojados em abrigos.

O animal, chamado de Caramelo, foi salvo por uma equipe do Corpo de Bombeiros de São Paulo após mobilização em redes sociais. Parabéns ao Corpo de Bombeiros.

Outro, que não perdeu a chance dos holofotes para pronunciar-se foi o youtuber Felipe Neto, que, em um momento de complacência e altruísmo exacerbado, foi às redes sociais se prontificar a adotar o cavalo Caramelo.

Quanta hipocrisia, o mesmo apareceu quase chorando fazendo “caras e bocas”, mostrando sensibilidade à flor da pele, um verdadeiro artista.

Porém, felizmente não foi dada a adoção do animal para ninguém, segundo informações, decidiram que o cavalo Caramelo, permanecerá no Rio Grande do Sul como símbolo do estado; sabia decisão.

Nobre youtuber Felipe Neto, não se preocupe, assim que as águas baixarem e às cidades iniciarem suas reconstruções, por certo, muitas crianças que perderam seus pais.

Em alguns casos específicos, perderam todos os seus entes queridos; estas crianças por certo estrão necessitando de acolhimento e adoção, aí o senhor poderá mostrar que realmente está preocupado com o próximo.

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia