facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Junho de 2024
13 de Junho de 2024

29 de Maio de 2024, 13h:53 - A | A

OPINIÃO / EMMANUELA BORTOLETTO SANTOS DOS REIS

Beba água no tempo frio

EMMANUELA BORTOLETTO SANTOS DOS REIS



Sabemos que muitas pessoas acabam diminuindo a ingestão de água no tempo frio. O corpo de fato precisa de menos água do que no verão. Por isso, sentimos menos sede. No entanto, isso não significa que a hidratação não deve ser feita. A água representa de 40 a 80% do peso total do ser humano, e as funções vitais de órgãos como cérebro, fígado ou coração dependem dela para acontecerem no nosso corpo.

Precisamos nos educar a beber, em média, cerca de dois litros de água por dia, seja no frio ou no calor para evitar a desidratação.

Os sinais de desidratação são boca seca, falta de lágrimas, intestino preso, pele grudenta, olhos fundos e, em bebês, moleira funda.

Umas maneiras de se hidratar são com alimentos como o alface, pepino e melancia. Uma dica, para deixar a água mais saborosa, é deixa-la aromatizada.

A atenção deve ser redobrada com idosos e crianças, que desidratam com mais facilidade, além das pessoas que já sofrem de alguma insuficiência renal e podem ter seu quadro agravado. Esse alerta também vale para quem sofre de infecções urinárias de repetição, causadas por baixa imunidade.

Para criar o hábito de ingerir água, anote estas dicas:

Tome um copo de água assim que acordar e carregue sempre uma garrafa de água mineral, evite sucos e refrigerantes, prefira água pura, gelada, natural ou com rodelas de frutas.

É importante também ter hábitos saudáveis de alimentação, evitar alimentos processados e ainda mais os ricos em sódio, manter o peso, controlar diabetes e pressão alta, fazer exercícios, não fumar e evitar bebidas alcóolicas.

Preste atenção a alteração na urina (frequência, cor, quantidade, cheiro ou espuma na superfície); dores nas costas ou nos rins; dor ao urinar; hipertensão; cansaço frequente; e inchaços. Qualquer um dos sintomas procure um médico.

 

Emmanuela Bortoletto Santos dos Reis é medica Nefropediatra no Hospital Santa Rosa e professora na UNIVAG- CRM/ MT 6596 e RQE 300; 327.

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia