Cuiabá, 02 de Fevereiro de 2023
logo

10 de Novembro de 2014, 09h:55 - A | A

NACIONAL / GOLPE

Suspeito de extorsão em SP tem 19 imóveis

Engenheiro foi flagrado pedindo dinheiro a dono de bar sem alvará.

G1



O engenheiro Roberto Torres, suspeito de envolvimento em um esquema de extorsão de comerciantes irregulares, tem pelo menos 19 imóveis no patrimônio e nove carros de luxo, informou o Bom Dia São Paulo nesta segunda-feira (10). Ele ganha R$ 4 mil e era ligado à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Alvarás, na Câmara Municipal de São Paulo.

Um dos imóveis é uma mansão em Aguaí, no interior do estado. A casa é grande, e tem entradas em duas ruas. Os vizinhos dizem que não conhecem o dono, só veem carros de luxo que às vezes saem das garagens. O jornal “Folha de São Paulo” publicou neste domingo uma reportagem sobre o patrimônio do servidor da Prefeitura. O jornal destacou que ele ganha R$ 4 mil por mês, e, além da mansão de sete suítes, tem nove carros de luxo,

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Roberto é o engenheiro flagrado pelo Fantástico em uma reunião em que foi pedido R$ 15 mil ao dono de um bar. O dinheiro seria para pagar um laudo e livrar o comerciante de ter que responder por irregularidades na CPI dos Alvarás, que funcionou na Câmara. Torres está sendo investigado pela Controladoria-Geral do município por suspeita de ter enriquecido ilegalmente.
 
A mansão é um dos 19 imóveis que o próprio advogado do engenheiro admite que foram comprados desde que ele entrou na Prefeitura, em 2006. Torres trabalhava para a Prefeitura fiscalizando licenças, e foi convocado para fazer parte da CPI dos Alvarás em abril.
 
Entre os bens do engenheiro estão dez vagas de garagens que ficam em um prédio na Rua Riachuelo, uma das mais tradicionais do Centro de São Paulo, perto do prédio do Ministério Público do estado, que inclusive está investigando o enriquecimento do engenheiro.
 
O advogado do engenheiro, Davi Gebara, diz que ele está à disposição da justiça e que todos os bens têm origem comprovada. “Ele é engenheiro há mais de 30 anos, ele é funcionário público a cinco, seis anos, grande parte desses imóveis é fruto de herança. E já daquilo conquistado pelo seu trabalho passado”, afirmou.

Comente esta notícia