Cuiabá, 29 de Setembro de 2022
logo

22 de Setembro de 2022, 17h:50 - A | A

NACIONAL / SAÚDE PÚBLICA

Anvisa manda retirar macarrão com substância tóxica das prateleiras

Segundo o órgão regulador, foi usada na massa alimentícia a mesma substância adulterada utilizada na fabricação dos petiscos que causaram a morte de ao menos 54 animais no país

Tainá Andrade
CORREIO BRAZILIENSE



A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou nesta quinta-feira (22/9) o recolhimento de massas alimentícias da empresa Keishi (Bbbr Indústria e Comércio de Macarrão Ltda.) que usaram o aditivo alimentar propilenoglicol, da marca Tecno Clean Industrial Ltda. O órgão regulador também proibiu tanto a comercialização quanto a distribuição e o uso desses produtos alimentícios da Keishi fabricados entre 25 de julho de 2022 a 24 de agosto do mesmo ano.

As investigações mostraram que a fabricante de massas estilo oriental, como udon, yakisoba, lamen e salgados, como gyoza, também usou propilenoglicol adulterado, substância que está sendo mapeada desde o início do mês de setembro após causar a morte de ao menos 54 cães que ingeriram petiscos para cachorros da Bassar Pet Food. A Anvisa já pediu a retirada, proibiu a comercialização e manipulação de produtos em três empresas do segmento.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“Empresas que tenham as massas da empresa BBBR INDUSTRIA E COMERCIO DE MACARRAO LTDA. (marca Keishi) não devem comercializá-las e nem as utilizar. Consumidores que tenham comprado o produto, também não devem fazer uso. Em ambos os casos, deve-se entrar em contato com a empresa para devolução. Se não encontrar a data de fabricação no rótulo, entre em contato com a empresa para confirmar sua fabricação. Se não tiver certeza quanto a essa informação, não consuma o produto”, alerta a agência reguladora.

Na terça-feira (20), a Anvisa soltou um alerta para todas as empresas envolvidas na cadeia produtiva de alimentos de consumo humano sobre o uso de lotes do ingrediente propilenoglicol, da marca Tecnoclean. Leia mais em CORREIO BRAZILIENSE

Comente esta notícia