Cuiabá, 03 de Fevereiro de 2023
logo

11 de Novembro de 2014, 12h:00 - A | A

JUDICIÁRIO / DE OLHO NAS CONTAS

TRE avalia positiva a eleição e já se prepara para diplomar eleitos

A desembargadora Maria Helena fez questão de frisar que a constatação de irregularidades na prestação das contas pode impedir o candidato eleito de ser diplomado.

MARCIA MATOS
DA REDAÇÃO



Para o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, desembargador Juvenal Pereira, e para a corregedora da Casa, desembargadora Maria Helena Póvoas, a realização da eleição 2014 obteve êxito.

Agora, após encerrado o prazo para declaração final das contas de campanha, o pleno já trabalha o julgamento das contas e se prepara para a diplomação dos candidatos eleitos.

“Nós já estamos analisando as contas dos candidatos que foram eleitos primeiro para a diplomação, que está marcada,  segundo o calendário eleitoral, para dia 19 de dezembro. Teremos até o dia 11 de  dezembro para análise das contas dos candidatos eleitos e posteriormente seguiremos com análise das contas daqueles candidatos que não obtiveram sucesso nas urnas”, declarou o presidente.

A desembargadora Maria Helena fez questão de frisar que a constatação de irregularidades na prestação das contas pode impedir o candidato eleito de ser diplomado.

Quanto aos casos de disputa na Justiça Eleitoral pelo direito de assumir uma vaga de deputado, como a questão que envolve os candidatos Valdir Barranco (PT) e Altir Peruzzo (PT) que podem “tomar” a vaga do coronel  Perry Taborelli (PV), o presidente destacou que caso não haja uma decisão favorável aos candidatos até o dia 19 de dezembro, a diplomação será mantida para Taborelli.

Ao apresentar o saldo positivo das eleições, os desembargadores destacaram que o TRE já começa a focar no aperfeiçoamento do processo para o pleito eleitoral dos municípios em 2016.

Conforme a corregedora, a partir do mês de janeiro, alguns avanços como o cadastro biométrico dos eleitores já deve começam a ser implementados na baixada cuiabana. 

“Embora em 2016 a competência originária não seja do Tribunal Regional Eleitoral e sim dos juízes eleitorais, o Tribunal não pode ficar fora do processo. Nós temos é que estar à frente do processo e por isso pretendemos aperfeiçoar (...) Nós pretendemos  iniciar [ a biometria] em Cuiabá e Várzea Grande o mais rápido o possível. Eu acredito que até o mês de janeiro  nós podemos já começar”, ressaltou.

Comente esta notícia