Cuiabá, 09 de Dezembro de 2022
logo

02 de Janeiro de 2017, 09h:00 - A | A

GERAL / LAR DA CRIANÇA

Setas consolida humanização em acolhimento com a “Casa Lar”

Modalidade de acolhimento visa integrar jovens no ambiente familiar e comunitário

DA REDAÇÃO



As crianças e adolescentes acolhidas no Lar da Criança, em Cuiabá, se mudarão para uma nova casa na região do Coxipó, a partir de 2017. Na “Casa Lar”, que continuará sendo mantida e administrada pela Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas), os jovens estarão mais próximos da realidade vivida em lares com familiares.  

A nova modalidade de Casa Lar foi escolhida por apresentar o espaço necessário para acolher os jovens, bem como por possuir as características normais de convivência de uma casa, promovendo assim, a inclusão no ambiente comunitário. A unidade passará por adequações para receber os 19 jovens que hoje já estão no Lar da Criança, sendo oito delas neuropatas.  

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A assistente social do Lar da Criança, Tânia Mara Resende, explica a nova modalidade. “Com essa mudança, as crianças saem do ambiente institucional, e passam a integrar e interagir com um ambiente familiar. Como por exemplo, os vizinhos indo a pé ao mercado, escola, e as crianças participando de grupos de jovens em igrejas, por exemplo”.

A proximidade desses locais também foi pensada na hora da escolha da casa, que teve o contrato de aluguel assinado pelo titular da Setas, Valdiney de Arruda, nesta última semana.

O secretário conta que a escolha do imóvel foi avaliada pela Comissão de Reordenamento, composta por especialistas do Lar (psicólogos, assistentes, gestores), além de representantes do Conselho Estadual da Defesa da Criança e do Adolescente (Cedca) e Ministério Público Estadual. O trabalho do grupo foi realizado amparado pelos preceitos do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (Conanda) e Conselho Nacional de Assistência Social.

“O reordenamento da política de acolhimento social é construído em conjunto com o Ministério Público e Poder Judiciário. E a mudança para esse novo espaço é a consolidação do trabalho realizado nos últimos dois anos”, pontua Valdiney de Arruda.

Comente esta notícia