Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

24 de Dezembro de 2017, 15h:50 - A | A

GERAL / SOLUÇÃO É PRISÃO

Sargento que resgata animais defende maior punição para inibir maus-tratos

Casos de abandono e maus-tratos são os mais recorrentes em Cuiabá. Pena é de reclusão de no máximo um ano ou multa.

RAUL BRADOCK
DA REDAÇÃO



Defensor da causa animal, o sargento da Polícia Militar Juarez Pereira Vidal, que resgatou cerca de 120 animais abandonados ou que sofriam maus-tratos em 2017, declarou ao   que a falta punição mais rigorosa a quem comete este tipo de crime.

“As leis são muito brandas. Poderia ter uma lei para melhorar a questão da punição. Isso contribui para que a pessoa cometa o crime. Se a pessoa soubesse que seria punida rigorosamente, não faria”, afirma o sargento.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“As leis são muito brandas. Poderia ter uma lei para melhorar a questão da punição. Isso contribui para que a pessoa cometa o crime. Se a pessoa soubesse que seria punida rigorosamente, não faria”, afirma o sargento.

Reprodução

Sargento Vidal

Sargento Vidal resgatou mais de 122 animais em 2017.

 

Exemplificando a falta de maior rigor na punição para os crimes relacionados, é o caso do universitário Hemerson Fernandes que em abril publicou um vídeo fazendo sexo com sua cadela de estimação, em Cuiabá e ficou preso apenas quatro dias depois.

O caso ganhou repercussão na mídia e causou revolta social.

A prisão foi feita pela Delegacia de Especializada do Meio Ambiente (De)ma, cinco dias após a divulgação do conteúdo de zoofilia. O universitário foi preso por maus-tratos e associação criminosa, já que segundo a polícia havia uma rede de incentivo e compartilhamento do material criminoso.

“A única coisa que segurou ele preso é a formação de quadrilha, mas não conseguiram comprovar, por isso foi solto”, explica o sargento Vidal.

Além da cadela que aparece nas imagens, outros dois cães, que eram do estudante, foram regatados pelos investigadores e levados para abrigos de animais.

As denúncias de maus-tratos têm sido cada vez mais constantes. Em novembro, por exemplo, um homem identificado apenas como “Biuá”, de 48 anos, foi preso no bairro Ribeirão do Lipa, por quase matar seu cachorro de estimação. De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais relataram que animal estava tão machucado que nem conseguia andar.

Punição

No Brasil, há atualmente duas leis que tratam do assunto. O artigo 32 da Lei 9.605 considera crime o ato de “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”.

A pena para este tipo de atitude varia de três meses a um ano de prisão ou multa.

O artigo 164 do Código Penal prevê o crime de abandono de animais para aqueles que introduzirem ou deixarem animais em propriedade alheia, sem consentimento de quem de direito, desde que o fato resulte prejuízo. A pena prevista é de 15 dias a seis meses de detenção ou multa.

Leia mais

Cão é espancado pelo dono em Cuiabá e quase morre; PM prende agressor

Estudante 'faz sexo' com cadela e põe vídeo no Facebook; caso gera revolta

Vídeo de 'estupro' de cadela seria pedido de grupo de zoofilia; rede é investigada

Comente esta notícia

SARAIVA 24/12/2017

Bela causa,parabéns sargento!Concordo em gênero,número e grau.Chega de impunidade...CADEIA NELES!!!

1 comentários

1 de 1