facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 21 de Junho de 2024
21 de Junho de 2024

13 de Novembro de 2022, 16h:00 - A | A

GERAL / A TODO VAPOR

Proximidade da Black Friday com a Copa do Mundo deve antecipar calendário comercial

Com o Natal e Ano Novo também próximos ao evento esportivo, profissional dá dicas para consumidores não se endividarem ou comprarem por impulso

DA ASSESSORIA



A já tradicional Black Friday este ano terá com quem competir: a Copa do Mundo. Na verdade, para o economista Eduardo Amendola, elas irão agregar uma à outra, criando a possibilidade do calendário comercial ser antecipado.

"A Copa do Mundo começa no dia 20 de novembro e dia 24 acontece o primeiro jogo do Brasil. A Black Friday é logo em seguida, dia 25, ou seja, dois eventos que tradicionalmente estimulam o movimento de compra e venda estarão bem próximos, fazendo com que o comércio antecipe promoções", opina Amendola, professor da Estácio.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O economista revela que o evento esportivo historicamente incentiva o crescimento de vendas de televisores e seus itens periféricos, e indica:

"Para quem pretende comprar uma TV, fique atento desde já às oportunidades antecipadas, pois o comércio já está se preparando. E, claro, planeje este gasto já pensando nas despesas com o fim de ano, com Natal e Ano Novo, que também não estão longe", destaca.

Comprar na Black Friday pensando no fim de ano

Com a Black Friday próxima do início da Copa do Mundo, e com o fim do evento esportivo próximo ao Natal e ao Réveillon, Eduardo Amendola destaca a importância do planejamento financeiro das famílias.

"Durante a Copa do Mundo, o 13º salário estará liberado para os trabalhadores, e com tanta data comercial próxima é importante que as famílias tenham cada vez mais atenção a esta renda. Esse planejamento é fundamental para conseguir aproveitar os descontos da Black Friday e fugir das compras por impulso. É muito importante respeitar esse orçamento para evitar o endividamento desequilibrado", finaliza o professor da Estácio.

Comente esta notícia