Cuiabá, 01 de Outubro de 2022
logo

15 de Dezembro de 2021, 10h:25 - A | A

CIDADES / "MORTO POR ASSASSINATO"

Homem descobre que CPF foi cancelado e tenta provar na Justiça que está vivo em MT

Paulo Roberto é considerado morto há nove anos e não conseguiu nem tomar a vacina contra a Covid-19 por causa disso. Certidão de óbito consta que ele morreu durante um suposto furto e que foi sepultado em cidade que nunca visitou.

G1/MT



Paulo Roberto Gonçalves, de 41 anos, ingressou com um processo na Justiça de Mato Grosso para provar que está vivo. Pelos registros oficiais, ele consta como falecido desde 26 de janeiro de 2012, vítima de um homicídio em uma cidade que ele nunca visitou, conforme boletim de ocorrência e decisão judicial anexada ao processo.

Paulo teve o CPF cancelado por causa do erro e só descobriu isso em outubro deste ano, quando tentou fazer uma compra e não conseguiu.

Na ação que questiona a suposta morte dele, o Ministério Público de Mato Grosso alega que o homem foi morto por Antônio de Oliveira, ao tentar cometer um furto e entrar em luta corporal com ele.

O caso chegou a ser julgado pela Comarca de Sorriso, a 420 km de Cuiabá. O processo foi encerrado em 2018 e terminou sem a condenação do autor da morte.

Comprovação de que está vivo

Como prova de que está vivo, o pedreiro apresentou a Certidão de Nascimento do filho, que nasceu em dezembro de 2019, ou seja, não poderia ter tido uma criança quando já estava morto, se fosse o caso. A própria esposa Elizangela Moreira da Silva fez uma carta escrita à mão para dizer que mora com o companheiro e que ele está vivo.

Ele apresentou ainda uma série de cartas de parentes, inclusive dos irmãos, para reafirmar que não está morto. Até uma associação de pequenos produtores fez um atestado para afirmar que ele tem propriedade na comunidade de Serra Acima, em Chapada dos Guimarães.

Leia mais em g1.globo.com

 

Comente esta notícia